domingo, 20 de abril de 2008

Linha 577T – Jardim Miriam – Vila Gomes: A “menina dos olhos” da Viação Paratodos

Foto de 1971: 542 - Jardim Miriam via... Hosp. S. Paulo não é.
Local provável: Av. Domingos de Moraes próx. a Est. Vila Mariana

Foi por volta de 1961 que o ‘embrião da linha 577T’ foi criado. No início, a linha era operada por outra empresa, provavelmente a ‘Viação Estrela do Mar’ (extinta em 1969), e operava as linhas Cidade Ademar – Vila Mariana e Cidade Ademar – Anhangabaú (via Brigadeiro Luiz Antônio), ambas como linha 542. Até o presente momento não apareceram informantes afirmando que foi essa empresa citada que operava essas linhas, apesar que houve relatos de ver ônibus dessa empresa estacionado na Av. Cupecê e também próximo ao Vale do Anhagabaú. Consta que em 1967 as duas linhas 542 tiveram seu trajeto prolongado até Jardim Miriam.

A Paratodos, com seu meteórico crescimento, pegou ‘de bandeja’ essa linha em 1969, já como itinerário Jardim Miriam – Hospital das Clínicas, cujo percurso ainda não passava pelo Hospital São Paulo: seguia direto pela Av. Domingos de Moraes e Av. Vergueiro, até chegar à Av. Bernardino de Campos. A outra linha 542, que faz o percurso até Anhangabaú, a Paratodos preferiu não operar (já que sua empresa-irmã “Viação Canaã” tinha uma equivalente, a 577 Cidade Ademar – Anhangabaú prolongado em 1970 para Jardim Miriam).

Mais tarde, surgiram alterações no trajeto, desviando o percurso para o entorno da Vila Clementino, passando em frente ao Hosp. São Paulo, e também foi criado prolongamentos para Butantã e Cidade Universitária. Em 1978 as linhas 542 passaram a ser chamadas de 577M (Jardim Miriam – Cidade Universitária) e 577T (Butantã).

No Mapograf de 1979 apareceu a linha 577C – Jardim Miriam – Cidade Universitária via Vila Campestre. Não durou nada, mas foi seccionada em 26 de março de 1979 até o Metrô Conceição como linha 5757. No ano seguinte, a linha 577M foi extinta, permanecendo somente a 577T.

Em 1988, ano eleitoral, um novo prolongamento foi criado, dessa vez do Butantã até o bairro de Vila Gomes. Antes o bairro era mal servido pela linha 6211 Vila Gomes – Anhangabaú (Praça da Bandeira), até que um dia a Viação Castro deixou de operar. Pressionada pelo povo, a prefeitura então escalou a linha da Paratodos para fazer final na Vila Gomes, tanto passando pela Vital Brasil (577T/10) quanto pela Raposo Tavares (577T/31). Somente em 1989 foi incorporado o letreiro “Vila Gomes” aos seus ônibus.

Em 1997, foi criado o ramal 577T/22 Jardim Miriam – Metrô Ana Rosa, mas não durou muito. Dois anos depois a derivação 577T/31 via Raposo Tavares foi extinta, permanecendo somente a linha 577T/10.

Em 2007, com a chegada dos novos Milleniums, o horário do último ônibus saindo do Jardim Miriam passou das 22:45 para 23:00 hs.

Curiosidades:

- Os veículos “Caio Gabriela I” na verdade eram Caio Bela Vista (Super Caio) fabricados em 1972 e tiveram as dianteiras adaptadas para Caio Gabriela por volta de 1979, rejuvenescendo os carros. Em 1984 haviam 15 modelos, dos prefixos 12066 a 12080.

- Nos anos 80 e 90, qualquer lançamento de modelo de ônibus que a Paratodos comprava, rodava primeiro sempre na 577T, como foi com os modelos Caio Amélia, Caio Vitória, Marcopolo Torino 1987, Ciferal Alvorada, Thamco Dinamus.

- No período entre 6 e 7 da manhã nos dias úteis, são realizados 14 partidas no ponto inicial do Jardim Miriam.

Nota: Quem tiver mais informações sobre a extinta empresa "Viação Estrela do Mar", favor postar nos comentários, pois qualquer ajuda é de grande valia.

10 comentários:

Adrianno disse...

Bela história da linha Marisa. Comecei a usar muito o 577T para visitar minha irmã casada.

É interessante saber como uma linha atual chegou do jeito que é atualmente.

Até mais!

Charles disse...

Puxa Marisa, muito bacana essa história da 577T, eu a peguei muito (tenho 28 anos) inclusive na época se não me engano essa era a única linha na Rebouças que ia até a Paulista, se havia outras não me lembro pois só pegava essa.
Talvez voce seja a pessoa que possa me ajudar, preciso reunir informações e dados sobre uma antiga empresa que rodou na Z Sul entre os anos 70 / 80 a "Zona Sul", tudo o que sei é que a Prefeitura interviu nela no finalzinho dos anos 80 por ela estar com péssimos carros (muitos gabrielas II), lembro que na Teotônio Vilela passava trocentas linhas dela inclusive uma para o Grajaú cujo número não recordo, espero seu retorno, meus e-mails são: charlescamara@gmail.com e kamenin.oruha@gmail.com, ah tenho um blog também mas é sobre desenhos, séries e seriados japoneses dos anos 80 e 90 tssss: http://filosofando8090ehoje.blogspot.com/
Também posso me considerar busólogo pois as lembranças de minha infância que vêm hoje se confundem com imagens de ônibus que eu pegava e observava sobretudo da viação Poá , Eroles e Penha S. Miguel (eu morava em Itaquá - Z. Leste). Um abraço e espero seu retorno.

Atenciosamente,

Charles - SP

Julio disse...

Olá Marisa, realmente essa linha (577T) tem muita história pra contar, ela acompanhou o processo evolutivo e histórico da cidade desde os tempos que mau existia asfalto até nos tempo de hoje... Inclusive moro no Jardim Miriam e acho que esta linha de ônibus é uma das mais importantes da cidade, pois atravessa a zona sul até a zona oeste, passa pela Avenida Paulista, pelos principais estações de metro, etc...
Acho que falar dessa linha é como falar também da história do bairro que moro.

Abraços á todos

meiriane disse...

esse passa perto do aeroporto?

ass: meire

roberto disse...

Marisa, em primeiro lugar quero parabeni-la pelo conteúdo histórico sobre a 577T, e posso afimar que a unica coisa que eu não sabia era da empresa antecessora, mas o resto eu sei porque conheci a linha desde criança e você conta com os mínimos detalhes, os CAIOS/Bela Vista que foram transformado em Gabrielas I eram diferentes, pois quando eles surgiram na empresa eram a coquekluche dos motoristas e passageiros por teem a alavanca do cambio em pé, pois na época era comum deles com a alavanca em forma de "L" deitado, outra curiosidade é o fato de a Paratodos ter sido co-irmã da Viação Canaã, pois morei perto da garagem da Canaã, na época os ônibus eram verdes, brancos e ostentavam o desenho de um cavalo marinho nas laterais, também presenciei a transição para o famoso "saia blusa" que no meu ver foi uma pena porque as empresas perderam suas identidades e cores e depois muitas desapareceram, como por exemplo a viação Jardim Miriam e a V.G Mar Paulista. Forte abraço e estamos ansiosos por novidades.

daniele disse...

Marisa,
Parabens! Uso sempre esta linha e para mim todas as outras deveriam ser iguais, pois o(a)s motoristas e cobradores sao educados e prestativos, sem contar que é a unica linha que esta sempre limpa, o ônibus é confortavel, espaçoso e muito presenciei ou vi uma ocorrencia. E fiquei ainda mais feliz por conhecer a historia desta linha!
bjus!

Dani Silva disse...

Muito interessante essa história, pena que para quem mora na Vila Gomes tenha um final triste!! Estamos sentindo muita falta do 577T/10!

Nelson Y disse...

Será que podemos ajudar apoiando a iniciativa de não extinguir esta linha de onibus?
https://www.facebook.com/linha577T

Bill disse...

A Viação Paratodos já tinha um ponto final na Cidade Ademar, na frente da padaria Castelo Branco, em 1961 para sua linha Cidade Ademar - Vila Mariana. Nessa época, muitas crianças (eu inclusive) e jovens estudavam fora e utilizavam esse percurso. Esse ponto era na praça Bento Francisco de Moraes, na altura do no. 2800 da avenida Cupecê. A Viação Canaã, antes de estender a linha para o Jardim Miriam, tinha o ponto final de sua linha Cidade Ademar - Anhangabaú, também na avenida Cupecê, na altura do no. 3000, esquina com a avenida Prof. Paulo Mangabeira Albernaz (os nomes dos logradouros são os atuais).

homero garcia duenas disse...

Bem no texto fiquei sabendo de Detalhes que nao sabia, mas queria contribuir pois fiuz parte dessa historia, em 1987 ainda era o Sr Janio Quadros quem comandava S Paulo eu morava na Praça Elis Regina, no Butantã e trabalhava na Av Paulista e ia de carro , mas o transito ja era muito ruim e o Jardim Miriam não me servia pois o ponto final era no inicio da Raposo Tavares, na Rua Alvarenga com a Raposo. Então escrevi uma carta a CMTC COMPANHIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES COLETIVOS , ADMINISTRADA PELA PREFEITURA, que ficava na Rua 13 de Maio,na Bela Vista, e entreguei a carta pessoalmente na sede da empresa .E NELA SUGERI A EXTENSÃO DO TRAJETO PELA RAPOSO TAVARES ATÉ A PRAÇA ELIS REGINA, Para mim ia ser um mamão com açucar pois como disse trabalhava na Paulista. Bem dai passado um tempo me surpreendi que seguiram meu pedido, e como voce relatou fizeram dois trajetos um pela Raposo que passava pelas rus do Conjunto Habitacional e pegava a Benjamim Mansur e outro pela Vital Brasil, dai me considero o precursor da mudança do ponto final da linha até a Vila Gomes. Quando entrou a Erundina em 1989 um dos administradores do Butanta que morava no Conjunto Habitacional, não deixou mais passar os onibus pelas ruas do trecho e só manteve a linha da Vital BRasil.
eu nome é Homero G Duenas e ainda resido no bairro.